Publicada em 20/03/2017 às 09:42

Contas e segurança pública eram as preocupações de Chico Pernambuco

Eleito com 3.361 votos, Chico Pernambuco era um político à moda antiga, bastante conhecido na capital, Porto Velho, era empresário de carreira.

O cruel homicídio do prefeito do município de Candeias do Jamari, Chico Pernambuco, executado com um tiro na cabeça dentro do carro em frente à sua residência, chocou a comunidade rondoniense neste final de semana.

Eleito com 3.361 votos, Chico Pernambuco era um político à moda antiga, bastante conhecido na capital, Porto Velho, era empresário de carreira.

Com apenas o ensino fundamental, Chico Pernambuco, valia-se de experiências profissionais para desempenhar suas funções políticas, em muitas vezes era considerado um homem de perfil autoritário e incisivo. Ele foi eleito por três vezes prefeito pela população de Candeias do Jamari.

Seu nome completo era Francisco Vicente de Souza, tinha 67 anos de idade e era natural da cidade de Araripe, Ceará, porém foi o sobrenome Pernambuco que o tornou um personagem da política rondoniense. Seu homicídio foi lamentado por representantes e entidades políticas de todo o estado.  

Atualmente Chico Pernambuco vinha se empenhando em sanar as contas de Candeias do Jamari, demitiu mais de cem servidores comissionados, além de cortar gastos e secretarias. Porém, sua maior preocupação vinha sendo a falta de segurança em seu município.

Na última quarta-feira (15) o prefeito assassinado convocou uma reunião entre as lideranças políticas de Candeias do Jamari, que contou com a presença do seu correligionário do PSB, deputado Cleiton Roque, onde explanou sobre a urgência de ações de segurança na cidade.

Uma reunião com o Chefe de Gabinete do governo de Rondônia, Emerson Castro, já havia sido agendada para a próxima terça-feira (21). Agora quem assume a prefeitura de Candeias do Jamari é Luís Ikenohuchi (DEM), eleito vice-prefeito na chapa de Chico Pernambuco, Juntos Iremos Reconstruir Candeias.

As autoridades policiais estão na busca de informações e vestígios que levem ao paradeiro dos executores e o esclarecimento das causas dessa morte o mais breve possível, a fim de se evitar um fato semelhante ao de Olavo Pires, senador da republica assassinado em Porto Velho que nunca teve seu homicídio desvendado. 

Autor:  Rondoniaovivo.com - João Paulo Prudêncio
Fonte: O Nortão

Comente com o Facebook